Você já ouviu falar em comunicação não violenta e como ela favorece o crescimento organizacional? Essa metodologia permite que os seres humanos possam focar nos pontos em comum, favorecendo as relações interpessoais.

Provavelmente você já deve ter presenciado na sua equipe fatores como: críticas excessivas, provocações, boatos negativos ou até mesmo rótulos. Tais circunstâncias dificultam o trabalho em equipe, o desenvolvimento dos profissionais e o alcance de resultados diferenciados.

Para evitar que isso continue atrapalhando a performance do seu time, basta continuar a leitura. Descubra o que é a comunicação não violenta e a importância dela no meio corporativo.

O que é comunicação não violenta?

A comunicação não violenta (CNV) é uma abordagem desenvolvida pelo psicólogo norte americano, Marshall Rosenberg. O seu objetivo é favorecer conexões humanas de cooperação, utilizando como base a empatia e valores compartilhados pela humanidade.

A CNV pode ser construída com base em 4 pilares básicos: observação, sentimento, necessidade e pedido. Quando eles são colocados em prática de forma construtiva, a comunicação tende a ser assertiva, transformando positivamente os relacionamentos – sejam eles pessoais, profissionais ou sociais.

Os 4 pilares da comunicação não violenta

1. Observação

O primeiro pilar consiste em observarmos os fatos, sem julgar ou rotular o que estamos ouvindo. Para isso é necessário manter a concentração no acontecimento que está sendo narrado, sem emitir opiniões pessoais.

2. Sentimento

Tenha em mente que os fatos narrados irão desencadear emoções – positivas e negativas – como tristeza, felicidade, ansiedade, confiança, entre outras. Entretanto, é necessário manter o controle emocional e direcionar a energia para identificar tais sentimentos. A compreensão dessas emoções que foram desencadeadas favorecerá um diálogo transparente e empático.

3. Necessidade

O terceiro pilar está baseado nas necessidades dos envolvidos. Sim, além de assimilar as nossas emoções e motivações, precisamos estar abertos para entender o que a outra pessoa está tentando dizer. Questione-se: o que ela quer? Quais os sentimentos existentes em sua fala? Qual o motivo de determinada atitude?

4. Pedido

Por fim, após ouvir o fato, compreender as emoções desencadeadas e identificar as necessidades do próximo, estamos prontos para expressar o que queremos. O segredo nesse momento é saber se comunicar de forma clara, objetiva e respeitosa.

Lembre-se de realizar pedidos tangíveis para as outras pessoas, sem utilizar tons de ameaça, julgamentos ou críticas. Para isso, torna-se necessário aplicar os pilares anteriores, uma vez que eles auxiliam na hora de formular mensagens positivas.

A importância da comunicação não violenta para as empresas

A comunicação não violenta ajuda a fortalecer a cultura organizacional existente ao transformar o clima organizacional, aumentar o engajamento, a produtividade e a satisfação dos colaboradores.

Cabe ao departamento de RH capacitar os líderes para que os 4 pilares da CNV possam ser aplicados e reforçados diariamente com as equipes. No início a mudança pode parecer mais complicada, porém, a prática favorecerá a construção de novos hábitos.

Vale ressaltar que é cada vez mais comum os profissionais se desligarem de empresas onde os líderes não sabem manter conexões respeitosas, éticas e positivas. Nesse sentido, os profissionais de RH precisam ter ferramentas e ações que reforcem os comportamentos desejados na organização.

Agora que você já sabe o que é comunicação não violenta, que tal compartilhar esse artigo nas mídias sociais? Ajude outros líderes a desenvolverem práticas positivas de gestão de pessoas.

E para receber conteúdos atualizados, inscreva-se em nossa newsletter e curta a nossa página no facebook.

Confira também:

Comunicação interna: o que é e como afeta a rentabilidade

Redução de custos: controle o orçamento com a ajuda do RH