Como usar os resultados da avaliação de competências para criar um PDI eficaz?

Após entender o que é a avaliação de competências e evitar os erros mais comuns que podem comprometer esse processo, chegou a hora de saber como utilizar os resultados obtidos para criar um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) eficaz.

No artigo de hoje vamos falar um pouco mais sobre as etapas e melhores práticas para transformar os dados da avaliação em ações concretas de desenvolvimento.

Uma breve introdução ao PDI

Primeiramente, vale a pena relembrar alguns pontos importantes sobre o Plano de Desenvolvimento Individual.

Aproveite para aprofundar no tema com o nosso ebook gratuito: Guia definitivo para um PDI de sucesso!

O que é um PDI?

O PDI é um documento personalizado que detalha as metas de desenvolvimento profissional de um colaborador. Ele inclui objetivos específicos, ações e prazos definidos para alcançar essas metas.

Por isso, saber como usar os dados da avaliação de competências e desempenho é essencial para a elaboração de planos de desenvolvimento capazes de trazer crescimento e resultado. Tanto para a empresa como para o colaborador.

Importância do PDI

Um PDI bem estruturado é uma ferramenta poderosa para o crescimento profissional dos colaboradores e para o alinhamento das competências individuais com os objetivos organizacionais.

Pronto, agora que você já entendeu um pouco mais sobre o significado e importância do PDI, vamos aprender como usar os resultados das avaliações para a construção de bons planos de ação.

Como analisar os resultados da avaliação de competências?

Para começar a análise é importante identificar as áreas em que o colaborador se destacou e aquelas em que precisa melhorar. Essas informações são valiosas para direcionar o desenvolvimento profissional de cada indivíduo.

Ou seja, nesta etapa o gestor precisa identificar pontos fortes, áreas de melhoria e lacunas nas competências dos colaboradores.

Com base nessa análise, o gestor consegue criar um PDI personalizado para cada profissional, estabelecendo metas claras e específicas de desenvolvimento. Mas, lembre-se, é importante que essas metas sejam desafiadoras, mas alcançáveis, para motivar o colaborador a se empenhar em seu desenvolvimento.

Além disso, o PDI precisa de revisão periódica para garantir que as metas continuem alinhadas com as necessidades e objetivos do colaborador e da empresa.

Como estruturar um PDI com os resultados da avaliação de competências?

Mas, afinal, como é formado o PDI? As metas de desenvolvimento muitas vezes envolvem atividades que devem ser feitas para sanar as lacunas identificadas nas avaliações ou até mesmo potencializar alguma habilidade, já pensando em um cargo futuro.

Abaixo vamos citar 3 exemplos de atividades que são muito utilizadas nos planos de desenvolvimento:

1) Treinamentos e workshops

Nesse item, os gestores costumam identificar oportunidades de treinamento e workshops que possam ajudar os colaboradores a desenvolver as competências necessárias. Estes podem ser internos ou externos.

2) Mentoria e coaching

Já para essa atividade, os gestores atribuem mentores ou coaches que possam oferecer orientação e apoio contínuo. A mentoria é uma maneira eficaz de desenvolver competências através da experiência prática e do feedback constante.

Nesse caso, o mentor pode ser um profissional da própria empresa, com uma experiência mais sólida na habilidade ou conhecimento que deve ser desenvolvido. Mas, também pode ser um profissional terceirizado, como um executive coach.

3) Projetos Desafiadores

Por fim, nosso terceiro exemplo de atividades que podem ser adicionadas em um PDI é envolver os colaboradores em projetos desafiadores. Sempre lembrando de alinhar o projeto com o uso e o desenvolvimento das competências que precisam ser aprimoradas.

Dessa forma, os gestores proporcionam aprendizado prático e aumentam a confiança da equipe.

Conte com a ajuda da inteligência artificial para ter análises mais assertivas

A inteligência artificial no RH permite automatizar uma série de atividades para otimizar a rotina dos gestores. Um bom exemplo é a inteligência artificial da Peex Brasil.

Isso mesmo, com base nos dados da avaliação de desempenho, competências e nos feedbacks da liderança, a inteligência artificial Peex é capaz de traçar planos personalizados para cada colaborador, levando em consideração suas habilidades, competências e áreas de desenvolvimento.

Nossa inteligência fornece inúmeras sugestões de atividades alinhadas com a necessidade do colaborador e do negócio para que o gestor selecione aquelas que fazem mais sentido com o momento.

Ou seja, além de contribuir para um desenvolvimento mais eficaz e direcionado, aumentando a produtividade e a satisfação dos colaboradores, os gestores ganham tempo para fazer a parte humana: dar feedbacks mais estruturados e manter o diálogo aberto com a equipe.

Pronto, agora você já sabe porque utilizar os resultados da avaliação de competências para criar um PDI é uma estratégia essencial para o crescimento dos colaboradores e o sucesso da organização. Com objetivos claros, ações bem planejadas e acompanhamento contínuo, o PDI pode transformar potencial em performance.